Como controlar seus dados pessoais na web?

Como controlar seus dados pessoais na web?

O furto de dados pessoais é, infelizmente, um assunto que nos diz respeito a todos. Por dados pessoais entendemos naturalmente endereço de e-mail, número de telefone, apelido, nome próprio, morada, mas também significa dados médicos, números de clientes, identificadores, número de segurança social, endereço IP, voz, imagem e tudo o que nos permita identificar em algum caminho.

Um ato preventivo

Quem já teve seu computador ou telefone invadido pode confirmar isso: quando isso acontece, é uma verdadeira provação comunicar-se com todos os prestadores de serviços envolvidos para regularizar a situação.

Portanto, é essencial focar na prevenção de esses dados preciosos e, portanto, agir a montante, verificando regularmente nossos dados pessoais na web. Aqui estão algumas ações preventivas para integrar aos nossos hábitos para continuar surfando com total tranquilidade.

Mantenha-se discreto

Esta recomendação deve ser lida em vários níveis. Em primeiro lugar, é claro, há o que você posta em suas redes sociais, seu blog ou seu próprio site. Quanto mais você postar, mais exposição você terá. É claro. Você não deve abandonar essas ferramentas, mas simplesmente tome cuidado e lembre-se de que o mundo inteiro pode ter acesso a esta foto que você acabou de publicar.

Pensa-se aqui nessa famosa diretora de uma agência de comunicação que, durante suas férias no Caribe, se viu diante de um outdoor gigante no qual havia uma foto sua com o marido e a filha tão bebê! A referida foto havia de fato sido usada para fazer o anúncio do nascimento da criança e havia sido enviada a muitas pessoas e, muito provavelmente, compartilhada no site da agência ou nas redes sociais.

Neste caso, o dano foi, pode-se dizer, de menor extensão, embora muito desagradável, mas sabemos que às vezes há consequências financeiras desastrosas.

Isso nos leva a um segundo ponto relacionado à “discrição” na web. Nem sempre dê todas as informações solicitadas pelos sites, pense duas vezes. Em muitos casos, o uso de um pseudônimo é inteiramente possível. Tenha também vários endereços de e-mail para não revelar aquele vinculado aos seus dados mais sensíveis. E claro, seja criativo quando chegar a hora crie suas senhas.

Aproveite o tempo para criar senhas difíceis de hackear

Claro, é um pouco chato, mas quando você pensa em contas bancárias esgotadas, cartões de crédito sendo usados ​​para comprar desonestamente coisas extremamente caras, vale a pena se preocupar.

Uma boa senha é aquela que:

  • Tem um mínimo de 8 caracteres;
  • Inclui letras maiúsculas, minúsculas, caracteres especiais e números;
  • Não se refere ao seu sobrenome, nome ou data de nascimento;
  • Muda regularmente (todas as semanas idealmente).

Não confie em todos

Além das informações pessoais, também fazemos compras na internet com frequência. Antes de comunicar nossas informações bancárias, é essencial sempre verificar se o site em que estamos é seguro. Há então duas coisas para procurar:

  1. O pequeno cadeado na barra de endereços, por um lado;
  2. Cartas " https também na referida barra, por outro lado.

Descobrir o site que você está prestes a usar por meio de fóruns ou uma simples busca por avaliações no Google também é um bom reflexo a ser adotado.

Assim protegidos, os riscos de hacking são limitados, mas infelizmente o risco zero não existe. Por isso, fiquemos sempre atentos!